sexta-feira, 1 de outubro de 2010

o meu há-de ser o Semnome, assim não há problemas para ninguém (só para ele tadito)


Escolher o nome para dar a um filho deve ser tarefa deveras complicada!
Ou se tem um nome predilecto, que, por exemplo só dá para menina...e se sai rapaz como é? Lá está o bico d'obra!
É que se ainda se ligassem os nomes ás suas origens e significados, mas não, ligam-se às pessoas que conhecemos e têm esse nome, e aí, quantos mais conhecimentos sociais tivermos mais difcíl se torna a tarefa.
Ou então aquela paranóia dos diminutivos, acho péssimo, mas afinal uma pessoa dá o nome a um filho, não uma sílaba do nome.
E depois há aqueles nomes que se associam aos desenhos animados, aos reis, animais e a mais um sem número de coisas.
Por último, e não menos importante, o grave problema de não pôr nomes iguais aos dos familiares, isto porque apesar de se poder parecer cópia também se corre o risco de, quando está a familota toda junta, se chamar o filho e virem mais de quantas pessoas.
E sim, pôr um nome a um filho deve ser tarefa capaz de dar dores de cabeça...

2 comentários:

Jaslene disse...

Isto tudo por causa do martim manhã, hehehe

Caridee disse...

claramente eheh, mas tu pensas q eu brinco em serviço? mas eu gosto de Martim, é dos poucos de rapaz que escapam eheh