quarta-feira, 15 de junho de 2011

e depois apercebes-te que é tudo um sonho. que todas as esperanças e sonhos para o futuro são praticamente impossíveis de realizar. que nada vai ser como tu chegaste sequer a imaginar. e ficas desiludida. porque a vida não é previsível. porque o mundo gira e tu não te apercebes. e cai tudo em cima de ti. perdes-te nos escombros e não te queres encontrar. não te apetece falar. ficas no silêncio que te afoga aos poucos. controlas a respiração e vens ao de cima outra vez. não porque tu quises-te, mas porque alguém te puxou. e a vida pára, porque para todos os efeitos já não devia continuar. e tu decides correr. cansas-te. já não tens força para nada nem ninguém. enquanto a chuva cai ficas sentada junto a uma árvore e perdes-te. choras. gritas. esperneias e depois precisas de um abraço apertado. que te digam que vai correr tudo bem.

2 comentários:

Fo ( um nome enorme) disse...

eu dou-te esse abraço quando precisares, melhor ainda nem precisas de pedir eu sei quando necessitas!! Beijos grandes, Adoro-te

Anónimo disse...

se não comentar, não quer dizer que não vi, quer dizer que não é fácil ler